Quarta-feira

11 Novembro

  • 07.35

    Ben-Hur

    +12+12
    +

    Quando um príncipe judeu é traído e enviado para a escravatura por um amigo romano, ele acaba por reconquistar a liberdade e volta em busca de vingança.

    Ir para filme
  • 11.00

    O Jardim do Diabo

    +12+12
    +

    Do aclamado realizador Ridley Scott (Gladiator, Prometheus), vem a aventura épica EXODUS: DEUSES E REIS, a história da coragem de um homem de assumir o poder de um império. Usando efeitos visuais de última geração e imersão em 3D, Scott traz uma nova vida à história do desafiante líder Moisés (Christian Bale) quando se revolta contra o faraó egípcio Ramsés (Joel Edgerton), colocando 400.000 escravos numa jornada monumental de fuga do Egito e do seu terrível ciclo de pragas mortais.

  • 12.40

    Rio Sem Regresso

    +12+12
    +

    Depois de começar uma nova vida com o filho, Matt Calder vê-se confrontado com um apostador perverso chamado Harry Weston.

  • 14.10

    A Leste do Paraíso

    +12+12
    +

    O filme "A Leste do Paraíso" marca o primeiro papel de relevo de James Dean no cinema. A sua interpretação de um jovem rebelde e insatisfeito, que retomaria em "Fúria de Viver" (realizado por Nicholas Ray no mesmo ano), transformaram de imediato o actor num ícone da sua geração. "A Leste do Paraíso", adaptação ao cinema do romance de John Steinbeck, tem por cenário a América rural do início do século XX. Adam Trask (Raymond Massey) é um fazendeiro rico que vive em Salinas Valley com os seus filhos, Carl (Dean) e Aron (Richard Davalos), dois rapazes de personalidades muito diferentes. Convencido de que o pai gosta mais do irmão, Carl entra numa espiral de frustração, ciúme e insatisfação com tudo e com todos, mas acima de tudo consigo próprio. O comportamento destrutivo de Carl acabará por afectar toda a família. Esta obra-prima do cinema norte-americano recebeu diversos prémios, incluindo o de melhor filme no Festival de Cannes de 1955. Do lado da Academia de Hollywood, o filme teve apenas um Óscar, recebido por Jo Van Fleet na categoria de melhor actriz secundária.

    Ir para filme
  • 16.05

    Fúria de Viver

    +12+12
    +

    É um dos mais míticos filmes do cinema americano, e foi o filme que construiu, definitivamente, o mito de James Dean que já tinha morrido quando "Fúria de Viver" se estreou na América. Mas dizer que "é um filme de James Dean" é pouco, já que também lá estão Natalie Wood e Sal Mineo. Além do mais, em tudo "Fúria de Viver" "é um filme de Nicholas Ray" provavelmente, o mais comovente dos filmes de Ray. É no prodigioso "scope" (que o cineasta utilizava como ninguém) que está coreografada esta assombrada dança da adolescência, este encontro cósmico de três almas gémeas que querem fugir do mundo que os rodeia a América puritana dos anos 50 para construírem um mundo só deles. Não por acaso, as sequências mais marcantes deste filme passam-se no planetário de Los Angeles e numa casa abandonada de Beverly Hills.

    Ir para filme
  • 17.55

    O Gigante

    +12+12
    +

    Esta superprodução faustosa, sobre as relações e os conflitos amorosos de uma poderosa família do Texas, valeu a George Stevens o segundo Óscar para melhor realizador. Em 1951 Stevens já tinha recebido a estatueta dourada pelo filme "Um Lugar ao Sol", com Montgomery Clift, Elizabeth Taylor e Shelley Winters . Ainda assim, "O Gigante" será sempre recordado como o último filme de James Dean, que viria a falecer pouco depois da rodagem num acidente de automóvel. Como sempre, Dean é uma presença comovente e, mesmo numa personagem menos complexa que as anteriores, consegue envolver-nos na sua aura de fragilidade.

    Ir para filme
  • 21.15

    Cleópatra

    +12+12
    +

    Um clássico dos anos 60 e do cinema dos grandes estúdios, “Cleópatra” coloca Taylor, Burton e Harrison num triângulo amoroso que tem o “élan” dos grandes dramas históricos. Os cenários monumentais, o guarda-roupa de sonho e a magia do Egipto renderam a esta mega-produção quatro Óscares da Academia em 1964. Cleopatra tenta usar as tensões internas de Roma a seu favor, seduzindo Júlio César, com quem tem um filho. Mas a traição assassina César e a rainha regressa ao Egipto. Marco António é também seduzido pela bela rainha, formando com ela uma dupla que enfrentará, no entanto a oposição de Octávio. O filme tem uma curiosidade: terá sido durante as suas filmagens que Elizabeth Taylor e Richard Burton se apaixonaram. Segundo as testemunhas, algumas das cenas saíram bem mais tórridas do que estava escrito no argumento.

    Ir para filme
  • 01.15

    A Lança em Chamas

    +12+12
    +

    Elvis Presley é Pacer, um mestiço que é forçado a tomar partidos quando surge um conflito entre os brancos e os Kiowas.

  • 02.45

    Sol Vermelho

    +18+18
    +

    Um violento roubo de um comboio, que envolve uma espada samurai de valor inestimável, une o Cowboy Link (Charles Bronson) e o Samurai Kuroda (Toshirô Mifune) numa busca. Vítimas do bandido Gauche (Alain Delon), são forçados a lutar juntos para capturá-lo e recuperar a espada. Eles têm apenas uma semana para completar a missão, ou o guerreiro samurai terá de matar Link e, por honra, acabar com a sua própria vida.

  • 04.35

    A Lei do Ódio

    +12+12
    +

    Um pistoleiro já com alguma idade é forçado a voltar ao ativo quando um dos homens que capturou rapta a sua filha numa tentativa de obter vingança.